Tecendo volúpias - teatro

A partir de pesquisa iniciada em 2011 pelo grupo As Caixeiras Cia. de Bonecas, de Brasília, o projeto TECENDO VOLÚPIAS convida a diretora e cineasta Catarina Accioly para dirigir um espetáculo híbrido que utiliza o teatro de objetos e o cinema como inspiração para um trabalho que explora o encontro do feminino com diversos tipos de volúpia: a sexual, a alimentar, a idílica, a amorosa, a paranóica, a violenta, a infantil, entre outras. Em cena, três mulheres alternam-se em situações cotidianas e volúpias arquetípicas.

Construído a partir de objetos cotidianos comumente associados ao uso feminino, Tecendo Volúpias traz a utilização das coisas do dia a dia de acordo com suas funções, mas que aos poucos vão sendo ressignificadas, provocando momentos de ruptura onde a atriz, mulher em cena, sublima a o uso desses objetos, explorando a imaginação e o sonho, num êxtase de sentidos. A experimentação cênica sobre múltiplos arquétipos da mulher em momentos distintos de volúpia.

Essas mulheres cumprem ações rotineiras como preparar uma comida, arrumar-se para sair de casa, lavar um chão ou fazer tricô. A rotina é interrompida quando um objeto cotidiano ganha uma nova utilização que desperta situações arquetípicas do feminino onde a volúpia é experimentada. Cenicamente essa é a passagem para um nível onde o inconsciente coletivo opera, onde as imagens surrealistas brotam em cena as experiências femininas se re-significa a vida, em meio à banalidade cotidiana. E é nesse momento onde a volúpia se faz presente na cena.

Direção e Encenação: Catarina Accioly

Intérpretes criadoras: Amara Hurtado, Jirlene Pascoal e Mariana Baeta